Preparando seu gato para a chegada do bebê

Escrito por: Tudo Sobre Gatos

Hoje, abrigos ainda são visitados por chorosas futuras mães com gatos, que chegam depois da bem-intencionada relação ou da velha escola obstetra convencidas de que manter um gato causa riscos à saúde e bem-estar de sua criança ainda não nascida. Não ceda a esse velho conto de fadas. Conhecer os fatos, ajudará a criar formas de proteger ambos o feto e o felino.
 
 

Durante a gravidez

 
A infecção parasitária toxoplasmose é talvez o maior medo das grávidas que tem gatos. Isso pode resultar em aborto, natimortos ou defeitos de nascimento, como cegueira, surdez, hidrocefalia ou epilepsia. Como os gatos podem ser infectados com o parasita comendo pequenos mamíferos ou aves, é melhor manter seu gato dentro de casa. Agora não é um bom momento se afastar se ele já pode estar infectado.
 
gravidez e gatosCistos da toxoplasmose são encontrados nas fezes dos animais infectados. Como os gatos usam muitas vezes jardins como caixas higiênicas, use luvas para jardinagem, assim como quando estiver lavando legumes crus e frutas, manuseando carne crua ou esfregando as superfícies dos alimentos. Você também deve evitar esfregar os olhos até que suas mãos tenham sido lavadas. E não coma ou alimente seu gato com carne crua ou malcozida. Para evitar quaisquer cistos passados nas fezes tornarem-se infecciosos, recolha o material fecal, pelo menos duas vezes por dia. Melhor ainda, use sua “delicada condição” para que seu companheiro limpe a sujeira.
 
Alguns gatos são como velhas empregadas que não toleram mudanças. Estes são os gatos mais susceptíveis a serem afetados por um novo bebê, por isso, use toda a gestação para prepará-lo lentamente. Coloque fitas de barulhos de bebê para aclimatar seu gato aos novos sons que ele estará prestes a ouvir, ou esfregue loção para bebê em suas mãos antes de começar uma agradável atividade com ele, para criar associações positivas com os odores do bebê. Monte o quarto do bebê assim que possível, e dê a ele várias semanas para investigar antes de selecionar as superfícies que devem ficar fora de seus limites, como a mesa de troca e o berço, assim ele pode ver que não há nada de assustador com eles. No entanto, não o deixe ficar tão confortável a ponto de tirar uma soneca. Então, pelo menos um mês antes do bebê chegar, faça com que as superfícies não sejam agradáveis. Corte folhas de papelão do tamanho das superfícies dos móveis e cubra um lado com fita adesiva dupla face. Os gatos tendem a evitar superfícies pegajosas, e no final do mês, ele deverá evitar estes lugares.
 
Se a caixa de areia era mantida no futuro quarto do bebê, vários meses antes mova-a poucos centímetros por dia para sua nova localização. Se a transição for feita muito rapidamente, seu gato poderá retornar ao chão do seu antigo local. Cobrir aquela área com um objeto sólido como uma pilha de fraldas ou cômoda pode impedi-lo.
 
Por último, qualquer rotina de cuidado do gato que será mudada pela nova mãe depois que o bebê chegar deve realmente ser mudada de um a dois meses antes do seu nascimento. Estas podem incluir sessões de alimentação, carinhos, brincadeiras e dormir juntos. Se estas sempre foram atividades compartilhadas, a mudança fará pouca diferença para seu gato. Se não, o gato precisará de tempo para se adaptar ao estilo e habilidades do novo cuidador.
 
 

Depois que o bebê nascer

 
Quando você chegar em casa do hospital, pacificamente cumprimente seu gato sem interrupção. Como você teve alguns minutos, deixe todos os outros também terem – amigos, bebê, avôs, babás e visitantes. Ao menos que seu gato seja extremamente sociável, ele irá fugir do rebuliço característico e se esconder. Assim que as coisas acalmarem, ele aparecerá.
 
Coloque um cobertor ou uma peça da criança em uma área tranquila, onde o gato pode investigá-los. Quando estiver tranquilamente amamentando, permita que o gato se aproxime e verifique as coisas. Se ele seguir você no quarto na hora da soneca, certifique-se que ele não pule no berço. Enquanto não há certamente nenhuma verdade ao mito de que os gatos sugam o ar para fora dos pulmões dos bebês, um recém-nascido não tem a capacidade de se virar ou até mesmo mover sua cabeça. Um gato em busca de calor que escolhe ficar perto do rosto do bebê pode fazer com que seja difícil para a criança respirar. Feche a porta do quarto quando for hora da soneca. Se não houver nenhuma porta para fechar, instale uma porta de tela temporária ou pendure mosqueteiras no berço para manter o gato longe. Essas precauções também evitam que o gato urine no berço, algo que ele pode tentar se estiver extremamente estressado.
 
Com o bebê dormindo em segurança, agora é o momento perfeito para tirar uma soneca com seu felino favorito.