Bengal

Escrito por: Tudo Sobre Gatos

Energia
Gosto por brincadeiras
Necessidade de atenção
Afeto
Necessidade de vocalizar (miados)
Docilidade
Inteligência
Independência
Saúde e resistência
Necessidade de treinamento
Bom para crianças
Bom com outros animais de estimação

Origem e história da raça

bengalA raça do Bengal originou-se de um híbrido feito pelo homem do gato leopardo asiático e o gato doméstico. O gato leopardo (Felis bengalensis) é um gato de porte, habitante do sul da Ásia, e é um dos mais próximos da espécie de gatos não domesticados do antigo ancestral comum do gato familiar.

A gato leopardo assemelha-se muito a um gato doméstico, exceto pelos olhos maiores, partes do bigode mais ressaltadas, pernas mais longas e manchas brilhantes. Ele parece, na verdade, com um leopardo em miniatura. O Bengal começou sua jornada para se tornar uma raça reconhecida em 1963, quando a criadora Jean Mill de Covina, Califórnia, comprou uma gata leopardo em um pet shop. Naquela época, gatos leopardos poderiam ser comprados nos Estados Unidos, hoje em dia é ilegal vendê-los. Ela não estava tentando criar uma nova raça de gato, ela só queria um animal único.

Depois de vários anos, Mill pensou que a gata parecia solitária, por isso, colocou um gato doméstico na gaiola dela para lhe fazer companhia. Ela não estava esperando um relacionamento, mas para surpresa da Mill, em 1965 sua gata leopardo deu cria.

Apenas um gatinho da ninhada sobreviveu, uma fêmea híbrida que Mill chamou de Kin-Kin. Mill entrou em contato com a Escola de Medicina Veterinária da Universidade de Cornell em Ithaca, Nova York, para obter conselhos sobre como lidar com o híbrido, e disseram a ela que, provavelmente, Kin-Kin era estéril. Isso, também, era falso. Kin-Kin cresceu, cruzou com seu pai e produziu dois gatinhos. Um era todo preto e tinha herdado o temperamento do gato leopardo selvagem, ele se recusava a deixar alguém se aproximar dele. O outro, um macho malhado, herdou a disposição doce do gato doméstico. Depois de refletir, Mill decidiu que criar uma raça mestiça beneficiaria a ruim situação do gato leopardo. Mill estava consternada com a situação dos filhotes órfãos do gato leopardo pegos pelos caçadores e vendidos para os pet shops americanos. Os gatos geralmente terminavam em zoológicos quando o filhote crescia e na idade adulta mostravam seu temperamento selvagem. Mill queria oferecer ao mercado norte-americano um substituto malhado aceitável.

No primeiro cruzamento do gato leopardo com o doméstico de pelo curto, os gatinhos machos eram estéreis, como é o caso de muitos híbridos. As fêmeas eram normalmente férteis assim como também os gatinhos machos nas gerações seguintes. No entanto, muitos desses primeiros gatinhos híbrido cresceram e tornaram-se gatos nervosos e de temperamento incerto, semelhante aos seus parentes selvagens. Foi somente após várias gerações distantes do gato leopardo que o gato Bengal tornou-se mais previsível.

O gato Bengal padrão, ao contrário das outras raças, é descrito como um gato com temperamento ideal, confiante, alerta, curioso e amigável. Qualquer sinal desafiador o desqualifica, a fim de evitar problemas de temperamento que está sendo perpetuado pelo reprodutor. A TICA (Associação Internacional dos Gatos) exige que seja provado que os gatos são reproduzidos entre Bengals por pelo menos quatro gerações para garantir um temperamento dócil.

No entanto, em algumas associações, o Bengal ainda é considerado a atração da festa. A CFA (Associação dos Criadores de Gatos) não aceita quaisquer raças com sangue selvagem e apenas cinco associações (TICA, CCA, UFO, TCA e CFF) permitem que Bengals sejam mostrados. A ACFA (Associação Americana de Criadores de Gatos) aceita Bengals para registro, mas não os permitem na sala devido a preocupações com o temperamento da raça. Preocupações incluem timidez extrema, agressividade (vários juízes foram mordidos) e uma aversão a pessoas e outros animais.

Traços da raça

As manchas do Bengal são alinhadas horizontalmente ao invés de formas aleatórias ou “malhadas”. Rosetas formadas em círculo em torno de um centro mais avermelhado é o preferido. A ênfase é colocada no contraste entre as manchas e a cor de fundo; as bordas devem ser nítidas e distintas para um padrão que mostra qualidade. No padrão mármore, as marcas são derivadas do clássico gene malhado, mas o aspecto geral é aleatório, dando a impressão de mármore.

Bengals frequentemente possuem um gene “cintilante” que dá a pele um brilho iridescente, como se estivesse com uma cobertura. Três variações recessivas de pelo têm sido desenvolvidas: o leopardo da neve, o marmorizado e o marmorizado da neve. Estes tipos ainda são bastante raros.

Temperamento e personalidade

O gato Bengal pode parecer um gato selvagem, mas os criadores insistem que ele é amigável e dócil como qualquer gatos doméstico. Criadores descrevem os gatos Bengals como brincalhões, sociáveis e enérgicos que têm uma generosa dose de curiosidade felina e que desejam estar envolvidos com sua família. Não ficam intimidados com água, às vezes, se juntam à família para um mergulho, desde que seja de acordo com seus termos.

Embora as qualidades mostradas devam estar quatro gerações longe do leopardo, as gerações anteriores de Bengals eram consideradas de estimação, por isso, é importante saber o que você está recebendo ao adquirir um Bengal. Antes de chegar a uma segunda ou terceira geração do gato Bengal, certifique-se de que ele esteja livre de temperamentos problemas.

Esconder essa janela.